fbpx

Dúvidas Frequentes: Cirurgias

Cirurgias

Abaixo você encontra uma série de dúvidas frequentes referente à nossa clínica que são comuns a maioria dos nossos clientes.
Se sua dúvida não constar na seção abaixo, você pode entrar em contato conosco.

Cirurgias (Ortognáticas)

É o procedimento cirúrgico realizado para o tratamento das deformidades dentofaciais com a correção das posições dos maxilares (maxila e/ou mandíbula).

Por meio de um exame clinico detalhado da face, exames complementares (radiografias, tomografia) e de um modelo das arcadas que confeccionamos. Tanto o ortodontista como o cirurgião bucomaxilofacial podem detectar alguma anomalia nos ossos da face (deformidade dentofacial) e indicar uma cirurgia que envolva somente a mandíbula ou o maxilar.

São discrepâncias ósseas (de tamanho ou posição) entre os ossos maxilares (maxila e mandíbula), que fazem com que os dentes não se encaixem causando mudança no perfil e muitas vezes na estética da face.

Podem ser deformidades horizontais (ex: mandíbula muito projetada), verticais (ex: mordidas abertas), transversais (ex: assimetrias) e combinadas.

A deformidade dentofacial (DDF) pode originar problemas respiratórios diminuindo a qualidade de vida. Além disso, pacientes com DDF, podem apresentar algum tipo insatisfação da estética, comprometimento social e podem queixa-se de dificuldades respiratórias.

Sim. O aparelho ortodôntico antes da cirurgia é usado para corrigir a posição dos dentes para que estes se encaixem melhor durante a cirurgia. Depois da cirurgia, o aparelho ortodôntico é mantido para possibilitar alguns ajustes finais no posicionamento dental. Poucos são os casos em que o aparelho ortodôntico não é necessário.

O tratamento consiste nas seguintes fases: avaliação (ortodontista + cirurgião), preparação (ortodontia), cirurgia, acompanhamento pós-operatório e controle.

O profissional mais indicado para realização da cirurgia ortognática é o cirurgião dentista especialista em cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial. Normalmente no ato cirúrgico da ortognática, estão presente três cirurgiões (equipe). Todavia o tratamento completo pode envolver outras especialidades da área da medicina, odontologia, fisioterapia, psicologia e fonoaudiologia.

A cirurgia ortognática é realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral.

São realizados cortes e desgastes ósseos, o que permite movimentar os maxilares para a posição planejada. Uma vez posicionados, os ossos são fixados com pequenas placas e parafusos de titânio.

Geralmente, após uma avaliação conjunta (ortodontista e cirurgião bucomaxilofacial), o paciente é submetido a um tratamento ortodôntico a fim de preparar as arcadas dentárias para que no momento da cirurgia haja o melhor “encaixe” possível entre elas. Portanto, o diagnóstico é fundamental, objetivando que tanto o tratamento ortodôntico quanto o cirúrgico tenham o melhor resultado estético e funcional, no menor tempo possível.

Como qualquer procedimento cirúrgico, há um risco envolvido. Para evitar qualquer tipo de intercorrência, solicitamos a realização de vários exames (clínico, cardiológico e laboratoriais) ao paciente e, somente com resultado 100% positivo em todos, a cirurgia será indicada.

Normalmente, não. As placas de titânio são biocompatíveis e não causam reação alguma quando fixadas.

O pós-operatório das cirurgias ortognáticas, em sua maioria, não é dolorido. Isso ocorre pois os nervos sensitivos responsáveis pela dor daquela região normalmente ficam “anestesiados” por um período (Parestesia).

Nas duas primeiras semanas depois da cirurgia, a alimentação deve ser somente líquida. Em geral, durante este período, a boca pode ser mantida imobilizada e fechada com alguns fios e/ou elásticos. Na terceira semana, uma dieta pastosa já pode ser introduzida. Sólidos podem ser consumidos a partir da sexta ou oitava semana. Uma orientação nutricional prévia é recomendável.

Sim. A fisioterapia é um coadjuvante imprescindível, auxiliando na drenagem do edema, no trabalho muscular e na recuperação sensitiva de áreas dormentes. Acompanhamento fonoaudiólogo e psicológico, em alguns casos, são também indicados.